arrow_drop_down
Pr. Márcio reflete sobre a vida em aniversário

Pr. Márcio reflete sobre a vida em aniversário

Nesta quarta-feira (24/11) comemoramos com muita gratidão a Deus o aniversário do nosso amado e querido pastor Márcio Valadão, que completa 73 anos de idade. 

À frente da Igreja Batista da Lagoinha há 49 anos, é casado com a pastora Renata Valadão e pai de Ana Paula, André e Mariana. Ele também é o vovô “coruja” de 8 netos: Isaque, Benjamim, Lorenzo, Vitório, Angel, Tito, Davi e Bella. 



Nesta ocasião especial, temos a alegria de compartilhar um pouquinho de seus pensamentos, anseios e conselhos. Leia e seja edificado!

Aniversário é tempo de refletir. Quais as principais memórias da infância que o senhor carrega para esses dias?

Deus me deu a graça tão maravilhosa de ter nascido de pais que já conheciam Jesus, tementes a Deus. Eles eram presbiterianos, e cresci nesse ambiente, tendo em casa o culto doméstico. Era um tempo tão precioso! Meu pai era sapateiro e trabalhava na nossa casa, então nunca saía para trabalhar fora. Toda manhã reuníamos como família, eu, meus pais e meus 6 irmãos para um tempo de oração e adoração ao Senhor. Fui levado para a igreja bem cedo, participava das classes na igreja, mas quando meu pai faleceu foi um tempo muito delicado, um vínculo foi quebrado. Já era adolescente, e voltei às costas para a igreja. Meu pai era muito presente e, naquela época, a disciplina era muito rígida. Me lembro de um dia em que ele me corrigiu com um chicote, mas a lembrança que tenho da minha infância é algo muito bonito, é exatamente essa presença de todos à minha volta, foi onde aprendi que tudo na vida é como termina que se conta. Mesmo com meu pai agindo de uma forma tão rígida, sou muito grato a ele, e de uma forma maravilhosa, à minha mãe também. Vivíamos de uma maneira muito simples. Dormia no sofá, pois a casa ficava sempre cheia de visitas, parentes que vinham do interior, um tempo cheio de alegria. Algo que aprendi bem cedo foi a trabalhar, e não apenas trabalhar, mas a amar o trabalho. Isso, vejo com muita alegria e gratidão aos pais e irmãos que o Senhor me deu.

Quando ser pastor se tornou um alvo na sua vida?

Creio que meu chamado sempre existiu. Não sei se meus pais oraram quanto a isso, mas lembro quando era bem pequeno e gostava de brincar de pastor. Colocava as cadeiras ordenadas, meus irmãos menores assentados e começava a pregar. Os pastores na época gritavam muito, não havia microfone, então eu imitava. Me lembro de um sermão que fazia gritando: ‘Eu quebro essas cadeiras! Eu mato essa gente!’ (risos). Mas, algo que me marcou bastante foram os cultos domésticos, em que cada dia um orava, meu pai cantava e assobiava o tempo todo. Tudo isso foi uma semente plantada.

Sempre sonhou em ter uma família, em ser pai?

Sempre tive esse sonho. É uma bênção! Fiquei 4 anos no seminário, e nunca havia namorado, mas sempre tive a convicção de que Deus me daria uma família, e de fato me deu. No dia 1º de março de 1975 me casei com a Renata e o Senhor me concedeu a graça de ter filhos e, agora, ver os filhos dos meus filhos crescerem. Lembro-me que na Bíblia do meu pai havia a rubrica dele no Salmos 128. Esta passagem me acompanha todos os dias, pois é uma lembrança forte que ficou no meu coração: “Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor. O Senhor te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel”.

Como ter um casamento tão duradouro e abençoado?

Precisamos aprender algo: ninguém deve se casar para ser feliz, isso é egoísmo. Devemos casar para fazer o cônjuge feliz. O egoísmo é colocar o ‘eu’ em primeiro lugar e isso destrói. O casamento é uma entrega. Quando o egoísmo não é o senhorio da vida, somos felizes no relacionamento. É tão importante olhar para o cônjuge e perceber nele uma dádiva de Deus. É verdade que na caminhada a dois pode existir fases diferentes, pensamentos contrários e valores, aparentemente, antagônicos, mas o casamento é uma aliança para não ser quebrada. A vida é marcada pelos recomeços, por isso Deus estabeleceu que o dia tivesse apenas 24 horas, para que sempre venha o amanhecer, onde começa novamente todas as coisas. Acima de tudo o que mantém um casamento é um vínculo, é a expressão que proferimos no final da cerimônia ao colocar a aliança: ‘com esta aliança, selo contigo minha união, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém’. O ‘sim’ daquele dia tão importante ecoa no meu coração até os dias de hoje.


Sente-se realizado com o legado que tem construído, não só para seus filhos e netos, mas para toda uma geração?

Com muito temor, digo que é um desafio. Todos nós um dia vamos passar e temos que deixar um legado. Meu pai sempre dizia que queria deixar para os filhos três coisas: a fé, o estudo e um nome, para que os filhos nunca viessem a se envergonhar do pai que tiveram. Aprendi com meu pai a deixar isso também. Dei a condição de estudo, o ensino no caminho de Deus e, enquanto Deus permitir, ter uma vida pura, santa, íntegra para que eles nunca se envergonhem do pai.

O senhor é uma referência para muitos. Dê um conselho aos homens jovens para alcançarem uma caminhada crescente com Deus.

Sempre falo que tenho sonhos para viver até os 100 anos, mas sei que só tenho esse dia para viver. Então, é preciso ter alvos e fazer de cada dia um festival de amor, de misericórdia e testemunhos. Quando vivemos intensamente um dia, tudo é diferente. Como pastor, estamos caminhando para a concretização do sonho de ver uma igreja local alcançando Jerusalém, Judeia e Samaria, e até os confins da Terra. Quando vejo a Lagoinha Global, as igrejas em Belo Horizonte, em Minas Gerais, em tantos lugares do Brasil e nações, é uma alegria, mas há tanto para se fazer ainda. Na cruz as últimas palavras de Jesus foram “Tetelestai” que significa está pago, está consumado. Sonho, se Deus permitir, ver os países, todos eles, já como a Lagoinha, se multiplicando. Meu maior sonho é fazer o Senhor sorrir, ver a Terra cheia da glória Dele como as águas cobrem o mar. Minha preocupação é agradar ao Senhor.


O senhor está sempre produzindo algo para estar perto dos membros da Lagoinha, mas tem vontade de voltar ao púlpito? Estamos com saudade!

O momento que estou vivendo é muito delicado. Vivo um dia de cada vez. Procuro fazer de tudo, e gostaria muito de estar no púlpito aos domingos. Mas continuo ligado, acompanhando os cultos. Continuo sendo o pastor Márcio, fazendo muitas ligações por dia e recebendo mensagens também, sempre em contato com os pastores. Peço que orem por mim, pela restauração completa e para que tudo se acerte logo. Creio que quem começou a boa obra haverá de completá-la.

Conte-nos um pouquinho de como tem sido sua rotina atual.

A agenda de qualquer pastor é constantemente interrompida. De repente é preciso atender uma ligação e auxiliar as pessoas em suas dificuldades ou encaminhar para os devidos cuidados. Mas a condição hoje é de “ninho vazio”, os filhos estão longe e quando eles vêm a casa fica cheia, porém no dia a dia habitual somos só eu e a Renata. Ela tem quase que um zoológico na nossa casa com muitos bichinhos para cuidar. A vida hoje é diferente, continuo lendo, estudando, orando, mas entendo que é mais uma oportunidade de Deus, de sua misericórdia e graça. A saudade do púlpito e das ovelhas é grande, mas me ocupo com caminhadas diárias, cuidando da saúde e produzindo conteúdos para a Lagoinha Global e Rede Super.

Qual seu maior sonho para a Lagoinha?

É o sonho de Deus. De impactar cidades, estados, países e chegar aos confins da Terra. Esse não é apenas o sonho do pastor Márcio, mas deve ser o sonho de todos aqueles que vierem a conhecer a Jesus. A obra está incompleta, e as pessoas ficam tão preocupadas com a volta de Jesus. É verdade que há muitos sinais, mas tudo se cumprirá quando a mensagem do evangelho for pregada a todas as nações e a todos os povos do mundo. Tenho um mapa no meu escritório, onde olho para cada lugar e oro. Nele, para cada nação onde tem uma Lagoinha, costume colorir. Meu anseio é ver esse mapa todo colorido. O desafio é enorme, mas é simplesmente carregar essa mensagem e sermos imitadores de Cristo vivendo um dia de cada vez.

Como pastor, o que espera da Igreja do Senhor para 2022?

A Igreja é um corpo que tem que funcionar como um todo. A igreja do Senhor não é a soma das igrejas, mas a soma dos membros das igrejas, do povo. Nós, como pastores, temos a incumbência de equipar o povo para a obra do ministério. Para a obra do ministério ser realizada não é necessário um púlpito, cada um a realiza seja como pai, mãe, filho, aluno, patrão, empregado, como cidadão e em todas as esferas da atividade humana. Por isso, é tão importante que cada membro seja sal com todas as suas virtudes. Ele em poder terapêutico, proporciona sabor, são muitas características, mas a que mais ignoramos é que ele provoca sede, e nós, precisamos fazer exatamente isso: provocar sede da Palavra no povo. Como Lagoinha queremos ser grande, não por acaso, mas para servir e cuidar de cada membro, cada família. Para isso existe os GCs, para que cada um seja acompanhado e nunca esteja sozinho.


Compartilhe uma definição:

Uma felicidade: permanente

Uma tristeza: só uma noite, porque a alegria volta ao amanhecer

Uma dor: ingratidão

Um amor: ao Senhor nosso Deus, mas tenho um amor junto a mim também que é a Renata

Uma expectativa: ver cada membro da Lagoinha parecido com Jesus, amando e realizando as obras que Ele realizou porque essa é a promessa.

Com o seu amor a Deus, pastor Márcio nos ensina que o propósito do Senhor é que cada pessoa possa realmente conhecer a esperança que o evangelho proporciona e que seu avanço depende de todos nós. Quanta sabedoria podemos extrair de seus ensinamentos e atitudes!

Obrigado, pastor Márcio, por tanta dedicação à obra de Deus e as suas ovelhas. Agradecemos por se empenhar em cumprir a missão de honrar o Deus triuno, servindo-O com alegria no cumprimento da sua vocação, no poder do Espírito Santo. 

Desejamos ao senhor um ano de bênçãos! Amamos sua vida! Feliz aniversário!

:: Comunicação Lagoinha Global