undefined

SEJA BEM-VINDO AO lagoinha.com

arrow_drop_down
arrow_drop_down
Renata Valadão fala sobre sua vida em entrevista

Renata Valadão fala sobre sua vida em entrevista

Neste domingo, 10 de janeiro, a pastora Renata, casada há 45 anos com o pastor Márcio Valadão, presidente da Igreja Batista da Lagoinha, completa mais um ano de vida. Dona de uma alegria contagiante, Renata não é muito conhecida pelos púlpitos, mas pelos frutos da sua caminhada surpreendente com Cristo. Márcio e Renata se casaram em 1º de março de 1975, formaram uma linda família composta de 3 filhos, Ana Paula, André e Mariana Valadão e seus respectivos cônjuges, Gustavo Bessa, Cassiane e Felippe Valadão, e 8 netos, Isaque, Benjamim, Lorenzo, Vitório, Angel, Tito, Davi e Bella.


Com uma família tão linda e abençoadora, vemos na Renata, a matriarca, um legado de muito amor, fé e serviço. Vemos as promessas de Deus se cumprindo na vida de tantas pessoas por meio dessa família que, pela bondade de Deus, caminha conforme o evangelho, levando inspiração para uma vida de retidão e entrega a Jesus Cristo.


Diante da data especial, quem ganha o presente é você, que tem a oportunidade de desfrutar dessa leitura. Aqui mostramos um pouco de quem é a Renata, suas virtudes, história e seu coração. Podemos aprender muito com seus compartilhamentos e conselhos. Confira!



Conte um pouquinho da sua caminhada com Deus, como se converteu e uma experiência marcante:



Nasci num lar evangélico, sou filha de pais presbiterianos e neta de pastor. Chique demais! (risos). Aos 12 anos tive uma experiência com Jesus, mas nessa idade já tinha intimidade com Ele, amava ler a Bíblia e, algo curioso, é que meu amor por Jesus já existia antes mesmo de eu saber ler. Grifava versículos e minha mãe falava: “filha, mas você nem sabe o que está escrito!” Mas a verdade é que sempre amei as coisas de Deus. Fui batizada aos 11 anos e na mesma época recebi o batismo com o Espírito Santo. Então, não tenho na memória uma data certa que me converti, mas muitas memórias de lindas experiências com Ele ainda na infância. Minha mãe sempre me levava para uma casa onde havia uma reunião de oração. Eu ficava no quintal brincando com as outras crianças. Recordo-me de uma menina, Cristina, que de joelhos profetizava coisas lindas para nós, as crianças que brincavam com ela. Foi uma experiência muito bonita!


Compartilhe uma lembrança do tempo de namoro com Márcio:


Namoramos 1 ano e 3 meses. Lembro-me muito de um acampamento em que participávamos, tantas expectativas em meu coração, mas não sabia se ele realmente ia querer ficar comigo. Havia pessoas que já me chamavam de pastora. Eu estranhava, dizia que não ia me casar com aquele homem velho, apesar de ele ser novo. Márcio aparentava ter mais idade, porque usava terno constantemente. Mas, de repente, me vi gostando dele. Sei que foi o Senhor que fez isso em meu coração. Naquele acampamento surgiu a oportunidade de falar com meus pais, mas eu era ainda muito menina e minha mãe dizia que Márcio era um homem que se casaria logo e eu tinha apenas 14 anos. Porém, fui surpreendida no horário do almoço, quando todos começaram a cantar e com muita descontração e batucada diziam: “A Renata está gamada no pastor, o pastor está gamado na Renata”! Isso foi antes de namorarmos, mas o que nos despertou. Enfim, aconteceu, ele me explicou que eu teria que ser compreensiva porque ele não tinha muito tempo, era muito envolvido com as coisas da igreja, e poderia não conseguir ir aos encontros devido às necessidades dos irmãos. O tempo de namoro com ele foi inusitado para nossa família, afinal, não havia horários determinados. Minha mãe o recebia em nossa casa, às vezes, à meia-noite.


Qual o maior sonho da sua vida? Já se realizou?


Vivo cada dia, sempre considerando o hoje como especial. Nunca tive um grande sonho. Lembro-me que queria muito me casar, ter filhos e cuidar da minha casa e isso se realizou. Creio que cada dia será melhor do que o dia anterior, assim vivo.




Sua vida é um exemplo de abdicação. Isso foi uma decisão sua ou uma direção do Senhor? Aproveite para aconselhar tantas mulheres que se espelham em sua conduta.


Quando comecei a namorar, não tinha noção dessas coisas. Lembro-me que a igreja tinha 300 membros e eu queria ser uma mulher que fosse exemplo de boa esposa e mãe. Creio que foi o próprio Deus que colocou essa convicção em mim. Eu estudava, mas não tinha um sonho de me formar, meu desejo era que meus filhos crescessem vendo Cristo em nós, na função de pais. Essa conduta sempre foi importante, mas, ao mesmo tempo, muito natural. Aos 17 anos orei a Deus para que me mostrasse o que deveria fazer da minha vida, e em um “Encontro com Deus”, Ele confirmou tudo que estava em meu coração. Márcio sempre dizia que queria uma esposa para cuidar dele, então, só pode ser obra de Deus mesmo, tudo ter acontecido como tem sido. O que posso dizer às mulheres é que cada uma tem uma história junto ao esposo, acredito que nos casamos também com a profissão de nossos maridos. Ser esposa de pastor é sim, muitas vezes, renunciar momentos juntos, mas não difere do médico que tem que fazer plantão, do marinheiro que embarca e fica meses fora de casa, e tantas outras questões. Nós é que temos que tomar a decisão de ser feliz, fiel, sempre honrar o esposo, abençoar os filhos e entender que Deus é quem toma conta da gente. Mulheres, sejam abençoadoras e não murmuradoras!


Qual o balanço você faz da sua trajetória no dia especial do seu aniversário?


São 62 anos. Não me arrependo das coisas que não fiz, mas creio que poderia ter feito e fazer mais, creio que muitas coisas podem melhorar, mas fui surpreendida com tantos acontecimentos no meio do caminho que travaram algumas realizações. Mas sei que até aqui me ajudou o Senhor. Deixo que a própria vida se encarregue do balanço.


Descreva em uma palavra:


  • Uma alegria – vou profetizar: família

  • Uma saudade – meus pais

  • Um hobbie – ficar em casa

  • Um privilégio – Jesus

  • Um anseio – minha cura

  • Uma tristeza – adoecer

  • Um grande amor – meu primeiro e único namorado, Márcio.




    Deixe um recado para 2021, o ano do recomeço:


    Será o nosso recomeço. Creio que será maravilhoso, apesar dos medos que 2020 trouxe, é o tempo de mais intimidade com Deus, com a família, com os amigos, ainda que distantes, porque não podemos nos abraçar, encontrar, mas os valores mudaram muito. Estamos mais sensíveis à saudade, ao cuidado uns com os outros. Creio que tudo será diferente. Em 2020 Deus trouxe tantos aprendizados com tudo o que aconteceu, se isso permanecer ainda por mais tempo, vamos aprender mais ainda. Temos que aproveitar para buscar mais intimidade com Deus, ler a Palavra, ler livros, ouvir mensagens no YouTube... Que possamos despertar para este tempo de qualidade com Deus. Existe um Salmo que diz: Jesus, traga luz às nossas trevas, abra meus olhos espirituais para que eu veja a minha escuridão (Salmos 18.28). Que o nosso recomeço seja esse clamor!


    Renata é uma pessoa muito divertida e nos faz sorrir. É sempre um prazer desfrutar da presença dela. Ela termina essa entrevista cantando e aconselhando com a canção de David Quinlan: “Abra os olhos do meu coração, abra os olhos do meu coração, quero Te ver, quero Te ver Senhor”.


    Que neste dia você possa dedicar um tempinho de oração por ela, por sua saúde, família, para que Deus opere milagres em seu favor e ela possa cumprir todos os propósitos que Ele tem preparado.


    Parabéns, pastora Renata!


    Você é preciosa para todos nós!


    :: Comunicação Lagoinha Global