arrow_drop_down
O mau da polarização

O mau da polarização

Texto base: 1 Co 3.1-6


Exposição do texto: A igreja de Corinto estava sendo assolada por inúmeras divisões. Além de discordarem uns dos outros, os irmãos faziam questão de se dividirem em grupos. Cada grupo levantava um líder. Paulo escreve esta carta não somente para trazer os irmãos de volta à comunhão cristã, mas também para responder questões que foram levantadas. Tudo isso a fim de que essa igreja voltasse à unidade.


Contexto: Paulo estava no seu último ano de ministério na cidade de Éfeso, quando recebe informações de que a igreja de Corinto não estava indo muito bem. As informações eram muitas e poucas delas eram boas. Paulo soube que havia divisões na igreja e que ela estava dividida em 4 grupos. Grupos que se formaram em torno de personalidades, de pessoas que tinham tido uma participação no passado recente da igreja, como o próprio Paulo e Apolo (cap. 3.4). Havia até um grupo que talvez fosse o mais perigoso deles o “grupo de Cristo” (‘...e eu, de Cristo” Cap 1.12). Eles diziam que não eram seguidores de homem algum e sim de Cristo. Era como se dissessem: não queremos estar debaixo da orientação, da instrução e autoridade de qualquer homem porque recebemos tudo diretamente de Cristo. Alguns estudiosos têm identificado este grupo como o “grupinho dos espirituais”, que falavam em línguas, se gloriavam por terem experiências extraordinárias e que não aceitavam a autoridade de Paulo na igreja e outras coisas mais.


Discussão: Já há algum tempo que se percebe no meio evangélico é uma certa polarização em vários aspectos da vida. Isso sem dúvida é produto do orgulho caído do homem, atrelado ao desejo deste de ser seu próprio senhor. Incontáveis as vezes em que fazemos diferenciação entre carne e espírito de forma equivocada, razão e emoção, conservador ou liberal, evangelismo e ação social, sem falar do arminiano ou calvinista, de direita ou esquerda. Nos últimos anos, fomos assolados com várias dessas polarizações em nosso meio. Falta equilíbrio! Falta saúde na espiritualidade! Falta compromisso com o Cristo do evangelho!


Conclusão: O que a polarização construiu de bom ao longo da história da humanidade? Nada. Ela nos dividiu entre a possibilidade de dois grupos, construindo entre nós um muro tão grande quanto o de Berlim. Separou presbiterianos de assembleianos. Os que votam no partido “A”, dos que votam em partido “B”. E o pior, às vezes, toda essa polarização, é em nome de Deus. Mas o que fica claro em meio a esses ambientes polarizados, é que Deus já não é glorificado há tempos. O que estamos tentando dizer com isso? Que é possível sermos diferentes e unidos em Cristo, comprometidos com seus valores. É perceptível que durante alguns séculos, vários homens e mulheres, piedosos, foram colocados na cadeira de Deus, de Cristo. No âmbito político, o problema é ainda maior! A pergunta que mais confunde um cristão evangélico é o porquê de tanta divisão nos da sua fé. E a aparente resposta é sobre a diversidade presente no corpo de Cristo. Mas existe uma diferença enorme entre diversidade e divisão. A polarização invadiu corações, e colocou em xeque toda nossa pregação, pois no intuito de estarmos certos, tornamos o Cristo errado. No intuito de fazer da minha ideologia, crença, modo, melhor, o outro continua sendo tratado com indiferença.


Aplicação: Em última análise, Cristo deve ser glorificado em tudo, em todos, em todas! É impossível que isto aconteça em um ambiente de divisão, de polarização. A oração de Cristo é pra que sejamos um. Que tal essa semana tentarmos lidar com pessoas que têm opiniões diferentes? Que tal aprendermos com alguém diferente? Que tal valorizarmos a unidade, acima das inúmeras ideologias? 


Tudo o que acontece nos GC's da Lagoinha você assiste semanalmente no programa GC On-line, transmitido toda quinta-feira, às 20h, na Rede Super e na página da Lagoinha no YouTube.