arrow_drop_down
O testemunho da maternidade

O testemunho da maternidade

“e seja bem conhecida por suas boas obras, tais como criar filhos (...)” (1 Timóteo 5.10a).

Quando li esse versículo, literalmente, parei. Nem sempre percebemos o quanto a Bíblia fala sobre a maternidade porque não estamos atentas a esse assunto. Esse era um texto que eu nunca havia percebido.

Imagine muitas mulheres sem independência financeira e condições de trabalho ficando viúvas. O que fazer quando seu esposo falece? A igreja primitiva assumiu a responsabilidade de cuidar delas, porém, existiam critérios para que entrassem na lista das que seriam ajudadas. O versículo que lemos acima é parte dos parâmetros necessários para que fossem reconhecidas como aptas.

Repare que a primeira coisa a ser designada depois de “boas obras” é a criação dos filhos. E esta deve ser bem conhecida por todos. Aprendemos aqui que o nosso bom testemunho nos defende. Não precisamos de autopromoção e nem de nos esforçarmos para “mostrar pro mundo” o que somos, buscando aprovação ou reconhecimento. Esses são naturalmente obtidos por uma vida santa e segundo os princípios de Deus – não que este seja o objetivo. 

Se aparentemente o justo possa sair perdendo em algumas situações, essa sensação não prevalece, pois Deus se encarrega de lhe dar socorro e as pessoas de testemunhar seu caráter e retidão. 

Criar bem os nossos filhos faz parte do nosso testemunho. Ora, alguém acreditaria que “fulana” é uma boa pessoa se esta tratasse mal seus próprios filhos? Nesse momento não quero me apegar aos maus tratos graves e claramente abomináveis diante da sociedade, tais como agressão física, psicológica, abandono, abuso etc. Esses são evidentemente reprovados.

Quero ir mais profundamente na nossa reflexão sobre cuidar bem dos filhos: tenho a mesma paciência para responder meus filhos que eu tenho com os demais? Busco ser agradável, cortês, bondosa dentro de casa tanto quanto me esforço fora dela? Estou pronta para ouvir, compreender e ajudar? Eu realmente me interesso em proporcionar tudo o que eles precisam (emocionalmente, espiritualmente e fisicamente) para que cresçam saudáveis?

Em alguns atendimentos a crianças em sessões terapêuticas eu constatava uma dura realidade: alguns pais queriam que seus filhos melhorassem e abandonassem seus “comportamentos incômodos”, mas não estavam suficientemente comprometidos em mudar a si mesmos como parte da solução do problema. Se não somos emocionalmente saudáveis e equilibrados, como esperar que nossos filhos sejam? 

Os nossos filhos são um testemunho contra ou a favor de nós? Quero te encorajar a se empenhar em manter o caráter de Cristo diante de todos os seus familiares, pois eles colherão muitos frutos – e você também. 

Ore comigo!

“Querido Deus, desejo ser inteiramente fiel a Ti e submissa aos Teus princípios em todos os momentos e lugares. Peço que sejas o meu auxílio no propósito de manifestar o caráter de Cristo Jesus dentro do meu lar e por onde eu passar. Ajuda-me a mudar em mim aquilo que é necessário para que meus filhos e minha família vivam os sonhos que o Senhor planejou”. 

:: Junnia Rodrigues

Junnia é mãe da Elis, e apaixonada pelo universo da maternidade e criação de filhos. Esposa do Pr. Lucas Rodrigues, Psicanalista e Coach Infantil. Atuantes na Lagoinha Santa Efigênia, em Belo Horizonte.

Foto: unsplash