arrow_drop_down
Artigo: Dízimo e redenção

Artigo: Dízimo e redenção

É impossível discutirmos a fundo as questões da nossa vida financeira e da nossa contribuição ao Senhor sem entendermos o que é a Redenção.

Muitos entendem que a palavra redenção” significa tão somente “perdão dos pecados” ou mesmo “salvação do inferno”, mas o seu significado vai muito além disto; A palavra redenção” significa resgate” ou “remissão”, pois ela retrata o ato de se readquirir uma propriedade perdida.

Esse princípio foi primeiramente instituído no Antigo Testamento, tanto que no livro de Rute encontramos Boaz resgatando (ou redimindo) as propriedades de Noemi; Ali Boaz estava readquirindo uma posse perdida em razão de uma dívida.

Naquele tempo, se uma pessoa não tivesse recursos para honrar os seus compromissos financeiros, ela deveria dar os seus bens em pagamento, e, se também não fossem suficientes, ela deveria dar as suas terras. E, se isto ainda não bastasse para a quitação da sua dívida, o próprio indivíduo (e às vezes até a própria família) deveria ser dado como pagamento, fazendo dele um escravo.

Lemos também em 2 Reis 4.1-7 que uma mulher viúva teria seus filhos transformados em escravos se ela não pagasse a sua dívida; E, quando isto acontecia com alguém, só havia três maneiras de a pessoa sair da condição de escravidão conforme Levítico 25.25-28: 

   Pagando a própria dívida caso viesse a prosperar (o que não ocorria no caso dos escravos).

   O perdão da sua dívida, proclamado no Ano do Jubileu. Algo que acontecia somente a cada 50 anos e por isso muitos morriam antes de serem libertos;

   A redenção, que era o pagamento da dívida feito por um parente, o qual comprava de volta aquela pessoa e consequentemente a sua liberdade; 

Ocorre que toda a Lei foi dada ao homem para servir como sombra daquilo que seria revelado plenamente em Jesus (Hb 10.1) e por isso a figura do Redentor é tão importante para entendermos a relação disso com a nossa vida financeira. 

Sabemos que Deus criou todas as coisas, sendo que dessa maneira Ele tem o direito de  propriedade sobre tudo. Sabemos também que por causa do pecado de Adão todos se tornaram escravos do pecado, pois ao cair de seu estado original, gerando assim um dano irreparável em toda a criação, o ser humano adquiriu uma dívida altíssima com o Criador, sendo algo impossível para ele mesmo pagar.

Mas Deus amou o mundo de tal maneira que entregou o próprio filho para nos resgatar da escravidão do pecado. Jesus é o Filho de Deus que se fez carne, tornando-se nosso parente e para assim nos resgatar da escravidão com a sua morte.

Por isso entenda que muito além do mero perdão de pecados, o sangue de Jesus nos comprou por inteiro, sendo que isso inclui nossa vida financeira e tudo mais que esteja relacionado a sua existência.

Tudo é Dele por direito de criação e também por direito de redenção, sendo que por essa razão destinamos com alegria parte dos recursos financeiros que Deus depositou em nossas mãos com a finalidade de prover sustento àquilo que tem o propósito de servir como ponto de referência e abrigo.

Dessa forma, podemos congregar como irmãos e assim todos juntos como Igreja  (Corpo de Cristo) somarem esforços na propagação da mensagem do Evangelho, qual seja a boa notícia de que a dívida foi paga e que agora somos livres!

Portando, se você entendeu que Jesus é o seu redentor e que Deus tem duplo direito (criação e redenção) sobre sua vida, incluindo a vida financeira, então eu acredito que você está pronto pra corresponder de modo coerente com aquilo que Deus já falou ao seu coração.

Que você faça isso sem nenhum sentimento de barganha com Deus, pois Ele não nos deve favor algum, mas justamente o contrário. Tenha confiança de que Aquele que te redimiu por inteiro não deixará faltar nada para o seu sustento.

Que hoje mesmo você possa contribuir por meio de transferência bancária e vamos juntos levar o amor de Deus para as pessoas, a fim de que elas também possam ter conhecimento da verdadeira liberdade adquirida por Cristo Jesus, nosso Redentor. 

:: Mariel Marra

Mariel é teólogo e advogado criminalista, pós-graduado em direito público. Você pode obter mais informações e acompanhá-lo em sua rede social